Redundância de sinal: Quais as vantagens de ter um backup?

0
Redundância de sinal: Quais as vantagens de ter um backup?

A redundância de sinal em TV serve principalmente para dar mais segurança para uma operação. Ela ocorre para que o canal não saia do ar mesmo em caso de instabilidade ou algum problema grave. Já falamos aqui no blog sobre as diversas maneiras de transmitir sinais de TV. No texto “Sua operação precisa mesmo de uma transmissão via satélite?” mostramos que há diversas formas de levar o conteúdo até o espectador. Sendo assim, cada empresa precisa traçar suas próprias estratégias para garantir que o canal fique sempre estável e sem interrupções. Mas por que isso é tão importante? Principalmente por três motivos:

Exibição de comerciais

Nas TVs que fazem a venda de espaço comercial, a redundância de sinal é fundamental por uma questão econômica e contratual. As empresas que compram espaços na programação esperam ter seus comerciais passados nos dias e horas combinados.

Quando há uma perda de sinal e esse acordo não é cumprido, isso representa um problema de relacionamento e um trabalho extra gigantesco. É preciso verificar quais comerciais não foram exibidos, renegociar com os clientes e acordar outro horário para exibição. Já quando há redundância de sinal, o caminho backup trata de tornar a instabilidade imperceptível e os comerciais não são afetados, poupando tempo e dinheiro das emissoras.

Credibilidade

Assistir um canal instável não é agradável para o espectador. Imagine o quão frustrante estar assistindo um filme ou mesmo ao discurso de um deputado e, bem no meio, perder a transmissão. É por isso que a redundância de sinal é fundamental para a garantia da credibilidade.

Com esse caminho extra, o espectador dificilmente perceberá a falha e continuará assistindo ao conteúdo normalmente. Para a emissora, é a garantia de manter a confiança de quem acompanha o conteúdo. Isso ajuda, inclusive, a reforçar a audiência e aumentar as vendas comerciais.

Legislação

As normas que regulam as TVs abertas, comunitárias e legislativas determinam que haja estabilidade de sinal. Como um direito do consumidor, é exigido que tenham o mínimo de estabilidade para não lesar quem está assistindo. No caso de grandes emissoras, isso já está incorporado à rotina, mesmo porque há questões comerciais envolvidas, como vimos nos itens anteriores.

Porém no caso das TVs de menor porte, há certa dificuldade em manter essa exigência por questões financeiras. A redundância de sinal, quando não feita da forma mais adequada, pode custar caro e comprometer as finanças de uma empresa com pequena estrutura.

A seguir, apresentaremos uma solução barata e eficiente que pode solucionar esse impasse:

Qual a forma mais barata de ter redundância de sinal?

Uma forma bastante interessante de obter redundância de sinal é usando uma transmissão via internet de baixa latência. Já falamos com detalhes sobre como essa alternativa pode ser útil para transmissões ao vivo.

Esse tipo de caminho pode ser adotado também como backup sem problemas. Por necessitar de pouca infraestrutura, ser financeiramente mais interessante e entregar qualidade, é ideal para operações enxutas mas que desejem entregar qualidade e credibilidade.

Na prática, funcionaria da mesma forma que a transmissão ao vivo via internet. Porém, o caminho de redundância de sinal ficaria sempre disponível em caso de alguma instabilidade. Assim que a dificuldade for identificada, imediatamente a redundância de sinal entra em ação. Enquanto o caminho principal estiver sendo reparado, o sinal backup pode atuar permanentemente até que haja uma solução.

Posso usar a internet para transmitir o sinal principal do canal?

Sim, pode. Emissoras pequenas, que estejam iniciando os trabalhos, ou que tenham orçamento reduzido, podem utilizar esse tipo de infraestrutura.

Apesar de ser confiável para transmissões ao vivo, que em geral duram minutos ou no máximo horas — ou mesmo como um caminho backup — utilizar essa alternativa como regra deve ser uma questão a ser analisada previamente. Em alguns casos, o melhor pode ser optar por outros tipos de infraestrutura e utilizar a transmissão via internet e com baixa latência como redundância de sinal, assim como descrevemos no decorrer do texto.

Caso tenha alguma dúvida sobre qual é a melhor alternativa para a sua operação, infraestrutura e orçamento, entre em contato com a Digilab.

Deixe um comentário

Comentar (obrigatório)

Você pode usar estas tags HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Nome (obrigatório)
E-mail (obrigatório)