5 novas oportunidades de atuação para operadoras de TV

0
5 novas oportunidades de atuação para operadoras de TV

O mercado de televisão, em especial o de operadoras de TV, está cada vez mais dinâmico. A todo momento surgem novas empresas e diferentes formas de ofertar conteúdo. Por isso, quem deseja destacar-se precisa inovar. Oferecer bons planos e serviço de qualidade é o mínimo que a empresa pode fazer. Então, para ir além, que tal gerar conteúdo exclusivo e de interesse específico do seu cliente, como um canal local, por exemplo? Nesse espaço, além de programas segmentados você pode vender anúncios e gerar lucro para sua empresa, tudo isso com baixíssimo custo. Basta adquirir um equipamento playout e contar com uma estrutura de poucos funcionários. Quer saber mais detalhes? Continue a leitura.

Como operadoras de TV podem inovar?

Operacionalmente, o que você precisa para ter canais exclusivos é de um equipamento chamado exibidor de vídeo, o mesmo usado em emissoras de televisão para colocar conteúdos no ar. Com ele, um mundo de possibilidades se abre para a oferta de conteúdo, venda de anúncios e espaço editorial. Na prática, é como se sua operadora se tornasse dona de uma emissora de TV, sem todos os custos envolvidos, claro. Veja as possibilidades de uso para esse canal:

Barker Channel:

É o espeço usado por operadoras de TV para promoção e relacionamento da empresa junto aos clientes. Ele pode servir para fins diversos, mas principalmente para oferta de conteúdo interno e disseminação de informações úteis para o cliente. Quando bem utilizado, pode gerar economia e até lucro para a sua empresa. Veja mais detalhes sobre como isso é possível neste post.

Canal segmentado:

A segmentação em si é a grande sacada das TVs por assinatura. Levando em conta esse fato, os operadoras de TV podem identificar nichos específicos do seu público e criar canais de interesse. Se dentro do universo de clientes observa-se grande procura, por exemplo, por culinária, a emissora pode criar um canal exclusivo para esse tema. Para ter conteúdo, os espaços na grade podem ser vendidos para produtoras locais de conteúdo ou o operador pode comprar conteúdo pronto e vender anúncios.

Canal de vídeos:

Se para a realidade dos operadoras de TV for complexo ou caro produzir conteúdo em forma de programas, exibir vídeos é muito mais simples e barato. Digamos que o tema escolhido seja surf, por exemplo. A programação será composta por vídeos que passarão em looping com o objetivo de prender a atenção do espectador. A rentabilidade para as operadoras de TV virá dos anúncios que passarão nos intervalos dos blocos de vídeos ou inseridos na máscara ao redor da tela.

Canal que exibe imagens de câmeras:

Outra alternativa bastante interessante para operadoras de TV é espalhar câmeras por pontos estratégicos e exibir essas imagens 24 horas por dia. Em cidades turísticas, os pontos podem ser os locais de grande circulação de pessoas ou as belezas naturais. Isso é interessante para quem assiste porque torna possível monitorar de longe a movimentação. Outra opção é colocar essas câmeras mostrando a situação do trânsito, o que pode ser muito útil para quem passa por esses locais diariamente. Em épocas de grandes eventos como carnaval ou reveillon, as câmeras podem ser posicionadas para mostrar a festa. Imagine como esse recurso pode ser interessante para prefeituras. A forma de rentabilizar será a mesma: os operadoras de TV colocam máscaras e vendem os anúncios.

Canal de música e shows:

É outra forma fácil de colocar conteúdo interessante no canal. Vídeos de shows são baratos e de grande interesse. Nesse canal, pode-se também oferecer espaço para artistas locais divulgarem seu trabalho. A rentabilização pode ser por máscaras ou por intervalos comerciais comuns.

Essas são apenas algumas ideias, mas as possibilidades são quantas os operadoras de TV imaginarem. É importante frisar que não é necessário ter um canal separado para cada uma dessas finalidades. O Barker Channel, por exemplo, pode ter blocos com programas locais, exibir imagens das câmeras de trânsito em horários de pico e, no restante do tempo, ofertar conteúdo da operadora. A forma de administrar fica a critério de cada empresa.

Ficou interessado? Quer conhecer outras oportunidades para operadoras de TV? Deixe sua sugestão nos comentários.

Deixe um comentário

Comentar (obrigatório)

Você pode usar estas tags HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Nome (obrigatório)
E-mail (obrigatório)